Seja novo ou usado, é importante avaliar as condições de estrutura e acabamento antes de bater o martelo

Comprar um imóvel novo ou usado é geralmente motivo de alegria. Mas para que a satisfação não se transforme em decepção ou dor de cabeça é importante checar direitinho se a tão sonhada casa ou apartamento apresentam boas condições de uso, se as partes elétrica e hidráulica estão em bom funcionamento e se a estrutura está preservada.

O primeiro ponto a observar é se a planta existente está de acordo com o que está sendo oferecido. Tudo tem de estar rigorosamente de acordo com as especificações do documento, conforme orienta o engenheiro civil Márcio Joaquim Estefano de Oliveira, professor do Instituto Mauá de Tecnologia (SP).

O aspecto visual também é importante, claro. O profissional indica observar todos os cantos da casa e ver se pisos e paredes não apresentam trincas ou fissuras, se o rejunte está bem feito, se não há manchas ou bolor nos revestimentos e como está a saúde das madeiras aplicadas nos batentes, portas e rodapés.“Em imóveis usados, especialmente em construções mais antigas, as ‘patologias’ mais visíveis são fissuras em paredes, caixilhos enferrujados, pintura embolorada, manchas em pilares. Isso significa que a construção não está boa e necessita urgentemente de reforma”, exemplifica Oliveira.

“Em imóveis usados, especialmente em construções mais antigas, as ‘patologias’ mais visíveis são fissuras em paredes, caixilhos enferrujados, pintura embolorada, manchas em pilares. Isso significa que a construção não está boa e necessita urgentemente de reforma”, exemplifica Oliveira.

Em imóveis novos, o futuro proprietário deve reservar ao menos uma hora para fazer a vistoria. Se possível, contrate um profissional do ramo ou vá acompanhado de alguém que entenda um pouco mais sobre construções.

O engenheiro civil Henrique Mazarin, da Maza Engenharia e Vistoria, aconselha verificar se os acabamentos estão de acordo com o memorial descritivo no contrato. Também é importante levar algumas ferramentas para ajudar na avaliação, como chave de teste, régua e prumo de nível, além de filmadora ou máquina fotográfica para registro das condições.


“O ideal é fazer a vistoria durante um dia ensolarado, pois sem uma boa iluminação não será possível avaliar direito”, diz Mazarin.

Outra dica essencial quando se vai procurar um imóvel é verificar se as licenças da obra estão em dia e se o projeto é aprovado na prefeitura. Sem isso, é melhor não se arriscar.

Veja abaixo o check-list básico para analisar a futura casa ou apartamento. Lembre-se que, em caso de problemas, o consumidor deve reclamar à construtora, que tem 90 dias para sanar o problema e agendar a revistoria:

  • Veja se os revestimentos (pisos e azulejos) não estão trincados ou com fissuras. Observe também se as peças estão bem rejuntadas, alinhadas e sem ressaltos.
  • Com a ajuda de uma chave de fenda, bata levemente com o cabo nas peças do piso para sentir se há o som oco da falta de argamassa de assentamento, o que configura má instalação.
  • Com uma régua de nível, veja se o piso está nivelado para receber o revestimento cerâmico ou porcelanato que você escolher. Caso não esteja, será necessário o trabalho de nivelamento e sua mudança vai atrasar alguns dias, fora o custo extra.
  • Verifique se os pisos de áreas molhadas, como banheiros e varandas, estão bem assentados jogando um balde de água e verificando se o líquido corre para o ralo.
  • Verifique se não há trincas nas quinas das janelas, mesmo em prédios novos.
  • Observe se não há descolamento do azulejo.
  • Se for apartamento, desça até o subsolo e verique o estado das paredes. Se apresentarem manchas brancas pode ser que estejam perdendo substâncias cimentantes, ou seja, há infiltrações.
  • Quanto aos revestimentos e louças, verifique o memorial descritivo e veja se o que foi instalado é realmente o que fora vendido.

Pintura

  • Verifique a pintura de portas e janelas, especialmente onde termina a guarnição e próximo às ferragens.
  • Passe o espelho no contorno superior e inferior da porta e veja se está pintado embaixo e em cima da porta, além da parte onde estão as dobradiças.
  • Observe a pintura perto dos espelhos de elétrica.

Louças e metais

  • Verifique se o vaso sanitário e as cubas de pias não estão danificados, tricandos ou riscados.
  • Veja se o tampo em granito ou mármore da pia não possui riscos e lascas. Faça o mesmo na área de serviço.
  • Observe também se há riscos ou manchas nas torneiras.

Portas e janelas

  • Verifique como está a vedação das janelas (se está siliconada ou não).
  • Analise se as portas estão se abrindo totalmente e se não ficam rangendo as dobradiças. “Se ela retornar a fechar sozinha, tem caimento e isso não está correto”, explica o engenheiro civil Henrique Mazarin, da Maza Engenharia e Vistoria.
  • Veja se as fechaduras estão funcionando e se porta realmente fecha e abre com a chave (principalmente trancas de banheiro). Repita com todas as portas do imóvel.
  • Nas janelas, verifique se as persianas deslizam livremente ou estão emperradas.
  • Observe se os vidros estão firmes e não trincados ou mesmo avariados.

Elétrica

  • Verifique se há identificação dos circuitos nos quadros de força. Veja também se cada um realmente desliga/liga o que está descrito.
  • Teste todas as tomadas, especialmente as 220v.
  • Não se esqueça de testar a campainha.
  • Ligue o chuveiro e observe se a chave dijuntora não desliga sozinha. “Se isso acontecer pode ter pane no sistema elétrico”, explica o engenheiro civil Márcio Joaquim Estefano de Oliveira, professor do Instituto Mauá de Tecnologia.
  • Verifique se os interruptorres não estão esquentando.

Hidráulica

  • Abra e feche torneiras e deixe a água correr por um tempo. Em seguida, feche o registro e confira se tem vazamento ou se a torneira não fica pingando.
  • Verifique também se não há vazamentos no sifão, na válvula e nas conexões dos registros da pia.
  • Ainda nos banheiros, verifique se a descarga permite vazão suficiente para expelir os dejetos. Repita de 2 a 3 vezes o procedimento para certificar-se que não há vazamento.
  • No chuveiro, certifique-se se sai água constante e com pressão.

Fonte: http://odia.ig.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *